15 de abr de 2011

Blusa vermelha


O sofrimento é como uma blusa vermelha. Se deixarmos esta blusa dentro do guarda roupa, ela vai ser sempre uma blusa de um vermelho intenso, vivo. Ao contrário, quanto mais essa blusa for usada e lavada, o vermelho vai desbotando, e uma hora ele vai estar bem fraco. Não deixou de ser vermelho, só perdeu a intensidade.
É assim com nosso sofrimento. Se guardarmos ele dentro de nós, nunca tocá-lo ele vai doer cada vez mais. Mas se dermos a oportunidade de sofrer, de compartilhar a dor, de "lavar" esse sofrimento, um dia também vai desbotar. Não vai deixar de ser sofrimento, não vai deixar de ser vermelho, mas será um vermelho apagado.
Aprendi isso com uma pessoa especial,
que tem me falado coisas especiais nesses últimos tempos.


Ajude-me a saber quantas pessoas leram esta postagem
Clique aqui.

6 comentários

Vanessa Souza disse...

muiiiiito legal cau *-*' adoro o seu blog rs

- juu ! disse...

É, uma blusa vermelha. Todo mundo tem uma e ela sempre desbota.
beeeijos caau <3

- juu ! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Stuartferreira disse...

Tem toda razão!

Diego W. Braga disse...

Éé cau, as vezes a gente tem que aprender que não se aguenta guardar tanto sofrimento, guardar além do próprio, o alheio também.
Que é apoiando um nos outros que compartilhamos desse vermelho, e esse equilíbrio faz todos nós avançarmos juntos, sem que alguém fica pra traz, estagnado de tanto sofrimento guardado.

né? =]

Beatriz Lopes disse...

Se não existisse blusas vermelhas, não existiria o que compartilhar. Pessoas importantes, não compartilham necessariamente apenas felicidades e alegrias, pois sem descobrir o que se machuca no outro, nunca o conhecerá de verdade. Fico feliz que esteja conseguindo aprender isso, Boa sorte! Beijos ;*